Dando um tempo

Gente, vou dar um tempo desse blog. Já há meses acho que ele perdeu a minha cara, ou eu mudei, sei lá; simplesmente não tenho me identificado com ele.

Pode ser que ainda surja alguma postagem por aqui, de humor ou imagens fantásticas.

Qdo vencer o domínio, não sei se vou renovar, então quem quiser acessar vai ter que usar o endereço do blogger, anotem aí: http://lucia-inthesky.blogspot.com

Continuo Lucia in the sky, mas agora em outra plataforma, ainda meio sem forma, mas devagar vou ajeitando: http://lucinha.tumblr.com/

Também vou continuar com minhas participações no Bem Casadas e no Cristão da Universal.

Mantenha-se informado me seguindo no twitter .


Bjins :-*

18 dezembro 2009

Afinal, download é ou não crime?

Sabem quando você quer dizer algo e não sabe como? Ou não consegue se expressar direito? Pois então, o texto abaixo queria que fosse meu, rsrsrsrs, mas não é. Peguei emprestado, porque é bem assim que penso, mas nunca consegui colocar no papel!

Boa leitura!!


pirataria-e-crime

É crime baixar músicas e filmes? E disponibilizar para usuários da rede mundial de computadores?
Acho que são importantes para organizarmos a ideia quando formos entrar numa conversa dessas:
1. Diferenciar pirataria física de download: Em nenhum momento as pessoas diferenciam a pirata, que cria uma máfia para duplicar CDs e DVDs e vendê-los pela rua com finalidade de lucro, da pessoa que faz downloads para uso pessoal. Apesar da divisão ser senso comum para muitos, acho que isso deve ser sempre pontuado explicitamente.
2. O download dá acesso a quem não tem acesso: Geralmente as pessoas que são contra o download moram em grandes centros urbanos, têm acesso a bons cinemas, boas lojas de discos, banda larga e etc. Nesses debates ninguém lembra que no auge da web 2.0 a acessibilidade está englobando não apenas banda larga para todos, mas conteúdo e cultura para todos, o que tem posto em xeque o egoísmo de empresários que querem comercializar até o ar que respiramos. O download proporciona que pessoas com bens materiais limitados tenham o mesmo acesso a cultura e a informação através de MP3, DVD etc., do que aqueles que só compram produtos em lojas, com a sua devida originalidade e carestia.
Vamos tomar por exemplo a cidade de Santarém, no Pará. Com mais de 400 mil habitantes, é o principal centro urbano do Oeste do Pará e da região do Tapajós. Lá não há nenhuma sala de cinema, e as locadoras e lojas de discos não contam com um catálogo muito extenso. A internet dá a possibiilidade a população dessa cidade, e de milhares de outras, de terem acesso a cultura de igual para igual aos grandes centros. A pergunta que deve ser feita aos representantes da indústria é: “Você acredita que as pessoas que moram nessas cidades (que são maiorira no país) não devem ter acesso a todos esses bens culturais apesar de terem a possibilidade?”. E note que essas pessoas não causam prejuízo a indústria, já que, mesmo que elas quisessem, não tem como consumir esses conteúdos!
E as pessoas que vivem nas cidades e comunidades há 3, 6, 12 horas de barco de Santarém? Também devem abdicar da possibilidade de se integrar ao mundo? “O senhor, representante da indústria, realmente acredita que o melhor a ser feito é excluir todas essas pessoas? Estamos falando da maior parte do território nacional.”
Também devo vendar meus olhos? E ao acervo de filmes e músicas históricas, da década de 50, 60, que não teria outra oportunidade de ver a não ser pela internet. Devo fechar meus olhos e assistir a Tela Quente e deixar meus neurônios ferverem com uma informação fabricada?
Se não trouxermos essas questões à tona, parece que tudo o que queremos é poder assistir Lost ao mesmo tempo que os americanos, nos integrar culturalmente. E não fazer dinheiro, como defendem alguns.
3. Não há comprovação de prejuízos a indústria decorrentes do download, ao contrário, há estudos que mostram que ele é benéfico: Mais de um estudo já foi publicando trazendo números que mostram que o compartilhamento de arquivos de músicas e filme beneficia a indústria, uma vez que a maior parte das pessoas que fazem o download já não comprariam o produto de qualquer maneira ou passam a comprar depois de ter uma “prévia”. Além disso, muitas são as pessoas que compram o CD ou o filme depois de terem contato através do download.
Isso é essencial pois relativiza o que é colocado como uma premissa: ‘O download gera prejuízo’, o que é uma farsa.
4. Não há pena para o download. A lei ainda é omissa quanto a isso: Projeto de lei ainda está sendo discutido para tornar download crime previsto no CP. Atualmente é punível o produto do download, que constitui Pirataria. Ou seja: o download compactado e gravado em CD ou DVD e vendido no comércio informal. O produto do download gera prejuízos irreversíveis para a indústria, uma vez que se estimula o consumo do mesmo produto, com qualidade inferior e mais barato. Isso sim é crime: “receptação e violação de direitos autorais”. Porém, quem disponibiliza ou faz download para uso pessoal não comete ato ilícito, uma vez que “ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer senão em virtude de lei”, segundo o Art. 5 da CF. Onde não há lei, não há crime!

Bennilson Melo
ConsultoriaJus
 
Fonte: IURDTube
Via: Paulo CSM blog

8 Comentários:

Carla Martins disse...

Adorei as dicas....a internet ainda é terra de ninguém, né? Era legal organizar mais as coisas, mas não vejo como isso seria possível.

Talvez a graça da internet seja isso...não sei.

beijinhos!

Anônimo disse...

Me desculpe, mas sou obrigado a discordar...
Alguém que investe dinheiro, tempo, dedicação pra desenvolver conhecimento, arte, etc., e se torna proprietário da obra, não é obrigado a entregá-la de graça.

É justo voocê roubar mercadoria de um supermercado só porque ninguém estava disposto a pagar?
O dono do supermercado é obrigado a dar de graça só porque ninguém quer comprar?

A decisão deve ser do proprietário da obra se ele vai ou não disponibilizar de graça. É opção dele. Caso ele decida que não, pegar sem pagar é crime sim, independente do argumento de racionalização/desculpa pra isso.

Captain Forr

P.S. - não tenho orkut (tampouco terei!). Vc poderia mandar os comments sobre a Chloe por e-mail?

Babi Mello disse...

Lúcia muito legal essa questão que você levantou aqui no lucia in the sky, faço download de músicas que gosto e algumas vezes acabo comprando os cds dos meus artistas favoritos, o seriado lost baixo mesmo dois dias depois que passa no EUA, afinal se formos aguardar o canal que transmite pela sky por exemplo ficariamos muito atrasados, e penso que esses beneficios e para nos manter atualizados com relação a informação e em nenhum momento estou agiando na forma de crime, afinal só eu uso e como o texto diz, não estou fazendo pirataria, por que não estou ganhando dinheiro com isso.
Bj!

Anônimo disse...

Lucia,
Trabalhei de 9 (mínimo) a 13 Horas por dia,8 dias consecutivos, e já tenho carga pra amanhã.
A Coca-Cola me livrou de ser mendigo!
Não me refiro ao fato de ter emprego, ou de fazer tantas horas extras, mas... Hoje um cliente me pagou mais de C$ 320,00 em moedas.
Juro que passou de 7 kg!
Ser mendigo dá mais trabalho do que eu imaginava. Mudei de idéia e não vou abandonar o emprego!!!
Captain Forr

Dri Viaro disse...

Que seu Natal seja repleto das bençãos de Deus.
beijos

Dri Viaro disse...

Que seu Natal seja repleto das bençãos de Deus.
beijos

Carla Martins disse...

Vim aqui de novo só pra te avisar que eu fiz meu último post de 2009 lá no leitura...e ele tem uma dedicação pra vc!!! :)

Beijooooos e vamos ver se ficamos ainda mais próximas em 2010!!!!

Feliz Ano Novo!

Postar um comentário

Olá!! Obrigada por comentar! Somente comentários educados e relevantes serão autorizados. Caso faça alguma pergunta, responderei abaixo.

♥ Siga também

♥ Pesquisar

♥ Atenção

Creative Commons License
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape

♥ Receba por e-mail

RSS

Escreva seu email:

Delivered by FeedBurner

♥ Contando

  ©Lucia in the Sky - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo